3:ª Lisboa Robotics Robotics Talk

Robótica na Saúde

20 de Dezembro de 2019
No passado dia 11 de Dezembro realizou-se no auditório do Centro de Conhecimento dos Hospital CUF Descobertas, a 3.ª Lisboa Robotics Talk. Desta vez a conversa girou em torno da robótica na saúde, com dois painéis de peritos a contribuírem com pontos de vista distintos e enriquecedores.

A abertura do evento foi realizada pelo Administrador Operacional do Hospital CUF Descobertas Nuno Oliveira e Pela Directora Municipal de Economia e Inovação da Câmara Municipal de Lisboa.

Após um convite à acção lançado pela apresentação do projecto Lisboa Robotics, o primeiro painel abordou a robótica aplicada à medicina e os seus avanços tecnológicos; As aplicações da robótica a acontecer hoje nos hospitais, bem como vantagens e desvantagens face aos métodos convencionais.

Com as perspectivas do Dr. Carlos Leichsenring – Cirurgião da Unidade de Cirurgia Robótica do Hospital CUF e o Dr. Nuno Figueiredo, Diretor do Centro Cirúrgico da Fundação Champalimaud foi possível perceber o ponto de vista dos utilizadores dos equipamentos, as suas possibilidades, implicações e mais-valias.

Por outro lado a Enfermeira-chefe Helena Martins do Hospital de Braga contribuiu com uma visão mais abrangente focando as vantagens da robótica em geral no ambiente hospitalar nomeadamente a sua utilização em complemento da imprescindível componente humana. Da parte dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, pela Dr.ª Mª do Carmo Borralho  – Coordenadora da Unidade de Robotics e Advanced Technology, percebeu-se o enquadramento destas tecnologias nas estratégias públicas.

Num segundo painel abriu-se uma janela para o futuro: o Hospital 5.0 e a medicina do futuro. Sentir, Pensar e (Inter)agir foram as palavras que conduziram a conversa através dos processos que se iniciam com a investigação e se prolongam pelo desenvolvimento e comercialização de robôs e dispositivos médicos.

Os maiores desafios e oportunidades para novos projectos, tendências e áreas de futuro foram aspectos abordados por Pedro Duque, Senior Manager R&D da PLUX, uma empresa dedicada ao desenvolvimento de sensores, e Bento Galamba da Siemens Healthineers, com os insights numa perspectiva mais direccionada de e para o ensino e centros de investigação e desenvolvimento dados por Hugo Ferreira, Professor e Investigador Medical Robotics do Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica, e Ricardo Ribeiro, Professor, Escola Superior Tecnologia da Saúde de Lisboa.

De entre as várias matérias que foram objecto de discussão destaca-se a problemática dos dados - a sua recolha, utilização e partilha – os quais constituem um ponto chave nas tecnologias emergentes pela sua importância e, em simultâneo, conduzem a questões complexas ao nível da privacidade da informação.

Com o papel de consultora na área da inovação, Rita Romão, do Aka Group, apresentou uma visão mais holística das novas tecnologias e o seu impacto em contexto de trabalho mencionando alguns casos nacionais de sucesso de integração de sistemas robóticos com trabalhadores com claros benefícios para todas as partes.

As discussões, conduzidas por Marta Bento da José de Mello Saúde (CUF) e João Carneiro da C-Napse, num espaço de grande interesse que apelava à proximidade entre o publico e os elementos dos painéis, foram ainda enriquecidas por várias intervenções da audiência composta por cerca 120 pessoas.

No exterior do auditório houve ainda a oportunidade de interagir com várias equipamentos de entidades que aceitaram o desafio de se juntarem à Talk e apresentarem alguns dos seus projectos com maior aplicabilidade na área da saúde. IdMind, EPL, PLUX, Next Reality e SPMS apresentaram soluções distintas na área da realidade virtual, robótica social ou robótica industrial.

Muito ficou por dizer demonstrando a actualidade do tema num claro convite à realização de uma nova Lisboa Robotics Talk - Robotica na Saúde.